Bio

Educação

João de Mancelos, nome literário de Joaquim João Cunha Braamcamp de Mancelos, nasceu em Coimbra, em 1968. É licenciado em Ensino de Português e Inglês (UA, 1992), mestre em Estudos Anglo-Americanos (UC, 1996), doutorado “summa cum laude” em Literatura Norte-Americana (UCP, 2003), pós-doutorado em Estudos Literários (UA, 2012) e possui uma agregação em Estudos Culturais (UA, 2015).

Cursou ainda Creative Writing (Luton U, 2004) e Theatre to Cinema (Luton U, 2005).

Áreas de interesse

Literatura portuguesa. Literatura norte-americana. Literaturas comparadas. Cinema. Escrita criativa. Guionismo.

Emprego

Na UCP (Viseu), lecionou Introdução aos Estudos Literários, Literatura Norte-Americana, e Escrita Criativa. Na UA, ensinou Escrita Criativa, e Guionismo. Atualmente, na UBI, é professor de Laboratório de Guionismo, Teoria da Narrativa Cinematográfica, e Escrita de Guiões.

Obra

Escreveu diversos livros de poesia, conto e ensaio, entre os quais “Línguas de fogo” (2001), “As fadas não usam batom” (1.ª ed. 1998; 2.ª ed. 2004), “O que sentes quando a chuva cai?” (2006), “O marulhar de versos antigos: A intertextualidade em Eugénio de Andrade” (2009), “Introdução à Escrita Criativa” (1.ª ed. 2009; 5.ª ed. 2017), “Manual de Escrita Criativa” (1.ª ed. 2012; 2.ª ed. 2015), “Uma canção no vento: A poesia de Eugénio de Andrade” (2013), “Manual de Guionismo” (1.ª ed. 2013; 2.ª ed. 2016), “Magia negra: A obra de Toni Morrison” (2014), “O pó da sombra” (2014), “Todas as cores da América: A literatura multicultural” (2015), “O teu nome incendiado de azul” (2016), e “Introdução à narrativa cinematográfica” (2017).

Foi distinguido com diversos  prémios em concursos literários. Alguns dos seus contos foram adaptados a teatro, em Portugal e no Brasil.

Associações e centros de investigação

É membro do CLLC (Centro de Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro), AIM (Associação de Investigadores da Imagem em Movimento), e PEN Clube Português.

Foi membro do CEAUL (Centro de Estudos Anglísticos da Universidade de Lisboa), APEAA (Associação Portuguesa de Estudos Anglo-Americanos), SERCIA (Societé d’Etudes et de Recherches sur le Cinema Anglais), Sol XXI (Associação Cultural), Cineclube de Viseu, e APE (Associação Portuguesa de Escritores).