Trabalhos

A escrita é um ofício em que todos somos aprendizes e jamais alguém será mestre.

Ernest Hemingway
Contos de amor, desejo e perda

Contos de amor, desejo e perda, de João de Mancelos, apresenta doze histórias marcadas pelo signo da solidão. Dois amantes em fuga, uma jovem com um segredo perigoso, um ex-combatente a braços com a paz: todos procuram a redenção no amor. Excerto.

Introdução à narrativa cinematográfica

Introdução à narrativa cinematográfica, de João de Mancelos, foca aspetos como personagens, espaço, tempo, estrutura, géneros. Recorrendo a exemplos de clássicos, o autor propõe um olhar mais atento sobre as histórias contadas no ecrã. Excerto.

O teu nome incendiado de azul

O teu nome incendiado de azul é o sexto livro de poemas de João de Mancelos. A obra é constituída por sessenta composições, agrupadas em três partes, cada focando um aspeto: o amor, a criação poética, a morte e a eternidade. Excerto.

Todas as cores da América: A literatura multicultural

Em Todas as cores da América: A literatura multicultural, João de Mancelos analisa contos de Maxine Kingston, Rudolfo Anaya, Sandra Cisneros, Sherman Alexie, etc., acerca da identidade nos EUA, onde convivem vários grupos étnicos. Excerto.

Mulheres fatais, detetives solitários e criminosos loucos

Mulheres fatais, detetives solitários e criminosos loucos: Estudos sobre cinema, de João de Mancelos, é o livro ideal para conhecer melhor a filmografia de Stanley Kubrick, Terrence Malick ou Alejandro Iñarritu, figuras marcantes da sétima arte. Excerto.

O pó da sombra

O pó da sombra é o quinto livro de poemas de João de Mancelos. Na primeira parte, o autor percorre a latitude da paixão, desde a perda ao júbilo. Na segunda, evoca cidades de vários continentes, da mítica Atlântida às antigas metrópoles. Excerto.

Magia negra: A obra de Toni Morrison

Magia negra: A obra de Toni Morrison, de João de Mancelos, debruça-se sobre os romances desta vencedora do Prémio Nobel da Literatura. O livro analisa os principais temas da autora: identidade, história, sobrenatural, etc. Excerto.

Manual de guionismo

Manual de Guionismo, de João de Mancelos, é um livro indispensável a quem desejar escrever um argumento para cinema. Inclui técnicas que levam o escritor desde a ideia à forma, passando pela construção da intriga. Excerto.

Uma canção no vento: A poesia de Eugénio de Andrade

Em Uma canção no vento: A poesia de Eugénio de Andrade, João de Mancelos estuda a relação entre a obra de um dos nossos poetas mais célebres e o trabalho de autores do cânone literário anglófono, de William Shakespeare a Walt Whitman. Excerto.

Manual de escrita criativa

Em Manual de Escrita Criativa, João de Mancelos apresenta técnicas para escrever uma narrativa. Aprenda a recolher ideias, desbloquear a inspiração, construir uma personagem, estruturar o enredo, gerar suspense, etc. Excerto.

Introdução à escrita criativa

Introdução à Escrita Criativa, de João de Mancelos, sugere técnicas e exercícios a quem desejar escrever um livro. Como desbloquear a inspiração? Como inventar heróis de papel e tinta? Como redigir diálogos naturais? Excerto.

O marulhar de versos antigos: A intertextualidade em Eugénio de Andrade

Em O marulhar de versos antigos: A intertextualidade em Eugénio de Andrade, João de Mancelos analisa a influência de vários escritores na obra do poeta português. Destacam-se John Keats, Walt Whitman e Wallace Stevens. Excerto.

O que sentes quando a chuva cai?

Voyeurismo: fantasia ou pecado? Quem nunca espreitou alguém pelo buraco da fechadura, folheou uma revista ousada ou viu um filme erótico? Em O que sentes quando a chuva cai?, João de Mancelos transforma o leitor num voyeur. Excerto.

Línguas de fogo

Línguas de fogo, o quarto livro de poemas de João de Mancelos, divide-se em várias secções: “os passos de ulisses” (sobre a Odisseia), “hiper-escrita” (homenagens intertextuais), “epifanias” (poemas de amor) e “pequenas prosas” (apontamentos). Excerto.

As fadas não usam batom

As fadas não usam batom, de João de Mancelos, apresenta onze contos. Neles, o leitor aprenderá a beijar uma rapariga com aparelho nos dentes, conhecerá uma atriz perdida num labirinto de máscaras, e descobrirá o segredo de dois gémeos. Excerto.

Foi amanhã

Em Foi Amanhã, de João de Mancelos, o leitor conhecerá um assassino alienígena, um par de gémeos ligados para além da vida, arqueólogos que descobrem a fonte da eterna juventude e um planeta onde os humanos são presas de caça. Excerto.


João de Mancelos

João de Mancelos nasceu em Coimbra, em 1968. É doutorado em Literatura Norte-Americana, pós-doutorado em Estudos Literários e agregado em Estudos Culturais. É docente universitário. Publicou diversos livros de conto, poesia e ensaio.